Impedido de desfilar em SP, bloco pró-ditadura reclama de ‘censura’

Publicado por

Após decisão do Tribunal de Justiça, que concedeu liminar proibindo o bloco Porão do Dops de sair no carnaval paulistano, o grupo que organizava o evento planeja um protesto em frente ao Ministério Público do Estado de São Paulo, na próxima quinta-feira, no centro da cidade. Os organizadores reivindicam o “direito à liberdade de expressão” e criticam o que classificam de “censura”.

“Estamos vivendo em uma ditadura? Jamais aceitaremos que o Brasil vire uma Venezuela! Iremos à batalha pela nossa liberdade de expressão! Nunca fizemos apologia ao crime de tortura! Pedimos, desde o início, que fosse feita uma revisão da história do governo dos militares (1964-1985), e as esquerdas do Brasil se mobilizaram contra nós”, escreveu Edson Salomão, um dos organizadores, na rede social MeWe.

Leia mais sobre o Carnaval 2018

O bloco pretendia homenagear torturadores como o coronel Carlos Brilhante Ustra e o delegado Sérgio Fleury. A intenção mobilizou entidades como o Grupo Tortura Nunca Mais, o Movimento Nacional dos Direitos Humanos e a Comissão de Direitos Humanos da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB). Promotores do MP-SP fizeram requerimento ao TJ-SP para que houvesse impedimento do nome “Porão do Dops” e às homenagens. Em paralelo, os deputados Orlando Silva (PC do B) e Leci Brandão (PC do B) entraram com requerimento similar.

Em uma ação que que tramita no TJ-SP, o desembargador relator José Rubens Queiroz Gomes, da 7ª Câmara de Direito Privado do tribunal, decidiu na tarde de quinta-feira proibir expressões, símbolos e fotografias que pudessem ser entendidas como apologia ao crime de tortura. No caso de descumprimento, os réus Edson Salomão e Douglas Garcia Bispo estariam sujeitos à multa de R$ 50 mil para cada dia em que violassem a decisão.

O grupo apagou a página no Facebook que era usada para organizar o bloco. Incomodados com supostas intervenções da rede social em seus posts, os organizadores criaram um novo grupo para marcar o evento na rede MeWe. Uma hora após Salomão convocar os seguidores para ir à Praça da Sé protestar contra o MP-SP, uma pessoa confirmou presença.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s