LGBT e aliados que foram destaque no ano de 2017

O ano de 2017 foi mais um ano de luta para a comunidade LGBT em São Paulo, no qual, algumas pessoas da comunidade LGBT e aliadas à causa superaram as barreiras e levaram adiante seus sonhos e projetos. Sendo assim, nada mais justo que darmos o devido reconhecimento a estes guerreiros e guerreiras que tanto tem colaborado pelo respeito aos direitos humanos, empoderamento LGBT e a tão sonhada empregabilidade trans.

 

 

1- OTÁVIO SEABRA

Otavio Seabra

Otávio Seabra, a frente do Castro Burger – hamburgueria inclusiva na cidade de São Paulo aberta a todas as diversidades – leva os princípios de diversidade da marca a outros patamares.

Otávio é um aliado, embora não seja LGBT, abraça a causa.  Pessoas como ele, precisam ser destacadas.

A Castro Burger apoiou o 1º Casamento Coletivo Igualitário, entre outros eventos. Na hamburgueria, eventos como DNA, realizados pela Câmara de Comércio LGBT e Hornet, aconteceram ao longo do ano com total apoio da marca.

 A empresa tem sido o braço direito do Programa Transcidadania na contratação de pessoas para atuar no estabelecimento em diversas funções. É um exemplo a ser seguido para diversas empresas que querem trabalhar a empregabilidade trans e o respeito à diversidade.

 

 

2 – PATY DELLII

Paty Delli

Paty Dellii, produtora de eventos e militante na causa LGBT, aposta na união e na celebração para despertar o empoderamento das travestis e pessoas trans. Idealizadora da festa “Terças Trans”, evento que reúne a população T para saraus, debates e apresentações, ganhou mais visibilidade no ano de 2017 e aumentou o número de participantes. A iniciativa de Paty é importante para identidade do movimento e visibilidade da causa.

 

3 – JANAINA LIMA
Janaina Lima

Janaina Lima, pedagoga de formação, atual coordenadora adjunta de políticas para LGBT na cidade de São Paulo, está juntamente com Ivan Batista à frente do Programa Transcidadania. Desde cedo, Janaina esteve ligada a movimentos de luta para o respeito às pessoas LGBT, em especial a visibilidade de pessoas travestis e transexuais.

Por mais que digam que existe um desmonte no Transcidadania, na verdade o Programa ficou mais democrático ao ser descentralizado. E em menos de 1 ano, conseguiu por meio de parcerias com empresários e poder público, contratar mais de 40 pessoas travestis e trans em diversos estabelecimentos.  Além da realização do Curso de Auxiliar de Cozinha idealizado por Paola Carosella, algo impensado na gestão anterior que, em 2 anos não conseguiu atingir essa meta.

 

 

4 – BETO SILVA

Beto Silva

Beto Silva , coordenador do Centro de Acolhida Florescer, se destacou este ano por promover o empoderamento de pessoas trans e travestis. Na Casa Florescer, as moradoras tem diversas atividades culturais, interagem com outros equipamentos do município e são estimuladas a buscar sua autonomia através de formação e acompanhamento.

 

5 – RAFAEL BOLACHA

rafael bolacha
Rafael Bolacha é ator, bailarino e produtor. Escreveu o livro “Uma Vida Positiva”, pela editora Cidade Viva. Idealizador de um projeto que leva o mesmo nome do livro, que aborda a temática do HIV/AIDS em diversos segmentos como: webrádio, palestras, espetáculo de dança, cinema e vídeos online.

Este ano o Rafael trabalhou bastante a questão do direito da pessoa com HIV bem como o respeito à diversidade sexual em diversos espaços

 

6 – ESABELA CRUZ

6 - Esabela Cruz - Membro Consultora.JPG

Esabela Cruz é aliada da causa LGBT, especialista em Gestão de Pessoas e mestra em Inclusão Social e Diversidade Cultural. Também é coordenadora do programa de Inclusão e Diversidade da HP, integrante da Comissão da Diversidade Sexual e de Gênero da OAB São Paulo e participa do grupo Mulheres do Brasil.

No ano de 2017 o trabalho Esabela que teve maior destaque, foi o Projeto Juntos pela TI – iniciativa de empresas e centros de Tecnologia que se reuniram para iniciar e incentivar pessoas com deficiência, pessoas trans e pessoas negras no universo da TI.

Quando o assunto é a pessoa trans no mercado de trabalho de TI, existe uma barreira muito grande a ser superada, vai além da capacitação para o mercado, perpassa pelo machismo, misoginia e transfobia tão presente nesta área de atuação. O “Juntos pela TI” é uma importante ação na luta por inclusão e deve ser celebrado e apoiado.

 

7 – IVAN BATISTA

Ivan Batista

Ivan Batista é o coordenador de políticas para LGBT da cidade de São Paulo. Neste ano de 2017, Ivan Batista se destacou por diversos motivos: descentralizou o Programa Transcidadania, tornando-o mais acessível e democrático; idealizou o 1º Casamento Coletivo Igualitário promovido pela Prefeitura de São Paulo e trouxe a 1ª Caminhada da AIDS para o município – algo já bastante comum nos Estados Unidos, pensando na necessidade de debater, dar visibilidade ao assunto e fomentar o respeito às pessoas que vivem com HIV/AIDS.

 

Cidade de São Paulo terá Caminhada da AIDS

A Cidade de São Paulo terá a 1ª Caminhada da AIDS com o objetivo de sensibilizar e atrair a atenção para formas de prevenção e tratamento do HIV.

A Cidade de São Paulo receberá no próximo dia 03 de dezembro a 1ª Edição da Caminhada da AIDS – Evento conhecido nos Estados Unidos como AIDS Walk. A edição é pioneira no estado e terá apoio da iniciativa privada seguindo a mesma diretriz do atual prefeito, João Doria.

Post-Caminhada-da-Aids-teaser

O evento em momento oportuno devido São Paulo estar enfrentando um grande aumento de pessoas com HIV principalmente entre jovens.

A previsão é que a caminhada inicie na Praça da República às 08:30, percorra diversas ruas do Centro Antigo, chegando no Vale do Anhangabaú que terá um show de encerramento com artistas ligados à causa.

Segundo porta-voz da prefeitura, em breve divulgarão mais detalhes como o trajeto completo e os artistas participantes da ação.

Pessoas ou empresas interessadas em contribuir, podem participar com doações. Acesse o edital completo:  Edital Caminhada da Aids 2017

Confirme presença no Facebook

Fonte: Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Cidadania